quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Nova linha de motores T-king, motores próprios e novos rumos


A alguns meses marcando coletivas a Break apresenta nesta noite os novos motores T-king, agora todos de origem Break, feitos no Ceará na antiga fábrica da marca CM pertencente ao grupo LC, o presidente do grupo destacou que os novos motores não equiparão nenhum modelo da Lc motors, prova maior disse é a proximidade da fábrica com o méxico onde são feitos os modelos B30, BX30, BX40, e B40, porém as noticias também vão além de motores, por hora no quesito motores a linha inicialmente batizada de TurboKing é rebatizada para T-king, a gama abrange várias motorizações, com potências estabelecidas de maneira a poderem equipar o máximo de modelos possíveis, proporcionando economia em escala, a seguir as novidades:

1.012v T-king Flex: O menor motor feito pela marca é um 1.0 bem esperto, com três cilindros, injeção direta de combustível e turbo o motor é Flex no Brasil, com dois padrões de potência, o mais brando com 120cv/124cv com gasolina e etanol respectivamente, o mais forte com 138/140cv sendo o 1.0 mais potente feito no país.

1.512v VCT-i Flex: Moderno e eficiente o bloco 1.5 tem 12v é três cilindros, é Flex, tem comando variável acionado por um comando elétrico, e é a opção aspirada ante o 1.0 T-king, a previsão é que o motor equipe as versões de entrada do B10 e B30 com proposta na economia de combustível, e será o provavel escolhido para equipar uma versão hibrida que surgirá em 2016 do B30, o bloco tem 125/128cv, e segundo o presidente do Grupo LC é o único motor que deve ser partilhado com a Lc motors, mas com números diferentes.

1.512v T-king Flex: Versão com turbo de pequeno volume e inércia mas com boa pegada, o bloco turbinado chega com três opções de potência: 148/150cv, 165/168cv e 184/186cv, mostrando pegada de sobra para um motor moderno e eficiente.

2.016v T-king Flex: Antes derivado do bloco de cinco cilindros da Lc motors, o motor agora passa a ter 4 cilindros, o que não desabono o novo bloco que também é um dos cotados a ir também para a Lc motors, porém o fato ainda é negado, o bloco é todo novo, com 16v, injeção direta, turbo, comando variável de valvulas e alumínio, assim como os demais blocos, porém aqui há uma comparação bem interessante o novo bloco é 25kg mais leve que o atual TurboKing de cinco cilindros derivado do TSi da marca mãe, serão também três potências para o bloco: 210/215cv, 250/257cv e 283/285cv.

3.2 24v VCT-i Flex: Todos os motores maiores da Break vinham da Lc motors, agora a marca apresenta seu motor inédito, é um bloco V6 com comando de válvulas elétrico e controle elétrico de desativação de cilindros, podendo rodar com 6 ou 4 cilindros ativados, conforme parâmetros ajustados pelo condutor ou por comandos da central eletrônica do motor, a maior litragem que o motor Lc motors não significa mais peso, o bloco é 15kg mais leve, a potência porém é um pouco inferior ao motor V6 aspirado atual, porém segundo o proprio Grupo LC o atual V6 da Lc motors passará por mudanças para se adequar a novas regras de emissão e deve perder alguns cavalinhos, a potência do primeiro V6 próprio é de 295/298cv.

3.2 24v T-king : acima do V6 aspirado todos os motores rodarão apenas na gasolina, lei da oferta e da procura, os modelos mais vendidos usam motores Flex, a versão turbinada do V6 chega com potência de 356cv.

4.0i 32v VCT-i: apesar de tentar disfarçar a Break não teve com disfarçar o bloco V8 apresentando pois é praticamente o mesmo Bloco da co-irmã Lc motors, porém segundo a Break centrais eletrônicas, comando de válvulas e alguns ajustes são novos, mas o fato de ser o único motor feito em Piracicaba entrega a origem, o motor rende 397cv.

4.0i 32v T-king: a versão turbinada do motor aspirado rende bons 435cv, e deve equipar futuros modelos maiores da Break.

E por fim a marca apresentou o maior motor que sera feito pela marca, assumidamente vindo da Lc motors, porém com novos dutos de admissão, novo comando de válvulas, sistema de desativação de cilindros, inclusão de injeção direta, e novas dietas com aluminios e metais nobres e leves na contrução de bloco, virabrequim, pistões e sistema de escape e admissão retrabalhados o motor 5.0V10 da Lc motors ganhou em litragem, passou a ser 5.2 42v VCT-i e teve aumento da potência que subiu dos já assombrosos 500cv para 532cv é o motor que equipará o futuro topo de linha B80.

Ainda no quesito novidades a marca anunciou a chega das demais versões do B30, estas feitas na planta do Ceara, junto com o lançamento da linha 2016 já com os novos motores, e a chegado do B10 que agora passa a ser montado em Araquari no novo complexo da marca em SC, as versões intermediárias do BX30 também passarão a ser nacionais em 2016, sendo feito também no Ceará nas antigas dependências da CM, com motores próprios a Break quer seguir crescendo.